| Presidente Prudente/SP

Banho de picão preto associado a chá gera melhores efeitos

Da Redação

Em 12/03/2018 às 14:06

Planta é tradicionalmente utilizada pela cultura popular para tratar icterícia, doença comum em recém-nascidos

(Foto: João Paulo Barbosa/AI Unoeste)

Pela primeira vez foram avaliados em estudo científico os efeitos do banho de picão preto, planta cujo nome científico é Bidens pilosa e tradicionalmente utilizada pela cultura popular para tratar icterícia, doença comum em recém-nascidos, provocada por bilirrubina no sangue e que deixa a pele e a parte branca dos olhos amareladas.

Já havia estudos sobre a ingestão do chá da erva. O novo experimento buscou saber se o banho apresenta o mesmo efeito em relação ao consumo por via oral. Ambos apresentam resultados, mas foi detectado como melhor efeito a utilização conjunta do banho e a ingestão do chá.

A pesquisa foi desenvolvida pela bióloga Cristiane Martinez Ruiz Pegoraro com a orientação da pesquisadora Gisele Alborghetti Nai que já havia conduzido outro trabalho utilizando o chá do picão preto para avaliar o efeito protetor ao câncer, constando a redução de danos do ácido desoxirribonucleico (DNA).

Porém, diante do uso popular da erva daninha em banho para combater a icterícia, daí a ideia de avaliação dessa forma de aplicação em busca de efeitos medicinais, com a constatação de que aliada à ingestão do chá melhora os efeitos protetores do fígado, rins e intestino.

O estudo sustentou a produção de sua tese no doutorado em Fisiopatologia Animal. Tese apreciada pelos avaliadores como um estudo importante e inédito, que serve como base para outros estudos.

Para a pesquisadora da Unoeste, o estudo atender às políticas públicas do Sistema Único de Saúde (SUS) que tem aproveitado e estimulado a produção de medicamentos fitoterápicos, produzidos através de ervas, que são menos tóxicos e mais baratos.

A política nacional implantada em 2006 pelo Ministério da Saúde tem liberado gradativamente ao longo dos anos novos medicamentos à base de plantas medicinais. "A produção utilizando o picão preto como matéria prima poderá vir a fazer parte da lista de liberação de fitoterápicos; pelos benefícios mostrados nas pesquisas", cita.

Compartilhe
Notícias Relacionadas

Rua Catharina Venturim Peretti, 171

Mário Amato - Presidente Prudente-SP

Telefones: 18-3909 3629 | 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.