| Presidente Prudente/SP

Exploração de gás de xisto por é proibida em todo Estado

Da Redação

Em 19/12/2017 às 15:38

Proposta é de autoria do deputado estadual Ed Thomas, que utilizou como base documentos e pesquisas que apontam vários riscos para a natureza

(Foto: Cedida/AI)

Como ocorreu em vários municípios, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou projeto de lei que proíbe a exploração de gás de xisto ou gás não convencional pelo sistema de fraturamento hidráulico em todo o território paulista.

A proposta é de autoria do deputado estadual Ed Thomas (PSB), que utilizou como base  documentos e pesquisas que apontam vários riscos para a natureza, como vazamento de hidrocarbonetos, principalmente metano e etano, emissão de gases de efeito estufa e contaminação da água.

“É de grande preocupação dos ambientalistas, considerando a possibilidade de vazamentos nos poços, pois, nesses locais, a água, produtos químicos e areia são bombeados em alta pressão de forma vertical, para fraturar o xisto do subsolo, com os lençóis freáticos e a atmosfera podendo serem contaminados com substâncias nocivas à saúde”, destaca o deputado.

Em Prudente

Em novembro deste ano, o juiz da 5ª Vara Federal de Presidente Prudente, Márcio Augusto de Melo Matos, julgou procedente ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF) determinando a suspensão dos efeitos da 12ª Rodada de Licitações promovida pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para a disponibilização dos blocos da Bacia do Rio Paraná, situados no Oeste do Estado de São Paulo.

A licitação era para a exploração de gás de folhelho, também conhecido como xisto, com uso da técnica do fraturamento hidráulico.

Antes, a Câmara Municpal de Presidente Prudente aprovou projeto de lei proibindo a atividade na cidade.

Compartilhe
Notícias Relacionadas

Rua Catharina Venturim Peretti, 171

Mário Amato - Presidente Prudente-SP

Telefones: 18-3909 3629 | 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.