Segunda-feira 1 de maio de 2018 | Presidente Prudente/SP

Após 'aparente' pico, taxa de transmissão deve cair na região

Em seis dias, casos ativos da doença podem chegar a 9,3 mil

ROGÉRIO MATIVE

Em 24/01/2022 às 10:35

Ainda é cedo para cravar que o pico provocado pela variante Ômicron tenha atingido seu ápice na região

(Foto: Koki Takaoka/Reuters)

Desde o seu começo, em março de 2020, qualquer aposta pode perder sentido em minutos. Contudo, a projeção feita pelo Infotracker, plataforma desenvolvida pela USP e Unesp para o monitoramento da pandemia em todo o Estado de São Paulo, apresenta tendência de queda na taxa de transmissão (Rt) da covid-19 a partir do fim do mês em toda região de Presidente Prudente.

Porém, ainda é cedo para cravar que o pico provocado pela variante Ômicron tenha atingido seu ápice e que os números seguirão em queda livre em fevereiro.

Nesta segunda -feira (24), a taxa de transmissão no Oeste Paulista atinge o seu recorde nos últimos 12 meses, superando o pico na segunda onda da doença: 1,72. Ela ficou 0,13 abaixo da última projeção.

Isso quer dizer que 100 pessoas infectadas podem transmitir o vírus para outras 172. A atual taxa segue neste patamar até essa terça-feira (25), quando inicia a tendência de declínio.

A transmissão da covid-19 deve fechar em 1,67 no dia 31 de janeiro apresentando ainda provável aumento no número de infectados, apesar da curva em leve declínio.

O que revela o índice de contágio

O índice de contágio (RT) é importante para apontar quantas pessoas serão contaminadas por um infectado, além de auxiliar na projeção da velocidade de transmissão da doença. O número deve ficar abaixo de 1 por mais de 15 dias para que seja visualizada queda de novos casos.

Ele vinha em queda desde o fim de outubro do ano passado, quando marcou 0,99. Ao longo dos últimos dois meses, este número ficou abaixo de 1, chegando até a 0,59 em 16 de novembro. Contudo, voltou a apresentar tendência de alta na primeira semana de janeiro até ultrapassar a faixa de segurança, segundo levantamento realizado pelo Portal.

Na prática, o aumento da taxa refletirá diretamente no crescimento de casos de infectados pelo coronavírus na região. Até o momento, não há demonstração de disparada em internações e de mortes.

Casos ativos e novas mortes

Em relação a casos ativos, a plataforma mostra um pulo dos 6.912 atuais para quase 9,3 mil em apenas seis dias. Porém, cabe salientar que a projeção pode não ganhar sustentação caso a população mantenha os cuidados básicos: uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social.

Por fim, a plataforma projeta mais 10 possíveis mortes nos próximos dias, o que mostra estabilidade. A estagnação em relação a óbitos está diretamente ligada ao total de vacinados, segundo especialistas.

Compartilhe
Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal Prudentino.

Fique tranquilo, seu email não será exibido no site.
Notícias Relacionadas

Telefone: 18-98122 7428

© Portal Prudentino - Todos os direitos reservados.